O Natal Luz de Gramado

Decidi escrever agora sobre Gramado pra tentar não perder o timing, afinal tenho algumas amigas indo pra lá agora nessa época linda do Natal Luz.

Sem dúvidas, um destino maravilhoso pra qualquer idade. Minha bebê (de 1 ano e 9 meses) se encantou e, pra mim, significou muito!

Fui há 9 anos e curti o inverno. Mas o verão tem um charme especial com a decoração e eventos de Natal, que duram 80 dias (de 25 de outubro a 13 de janeiro). Vale muito a pena se programar pra passar uns dias com a família… o clima é gostoso e as cidades (plural, porque são Gramado e Canela) super charmosas e com uma infraestrutura que nem parece Brasil (horrível dizer isso, mas so true). Fora o clima gostoso, com tardes quentes e noites fresquinhas (senti um friozinho agradável).

Já quero voltar todo ano!

E como tem coisa nova por lá… tantas atrações e passeios que não existiam na década passada (ai, que velha ela rs).

HOSPEDAGEM:

Há opções para todos os bolsos e gostos.

Ficar no Centro de Gramado é uma ótima opção, porque tem muitas atrações por ali. Recebi dicas de vários hotéis e quase fechei o Casa da Montanha. Me indicaram também a Pousada Florença e o Villa Bella, este último fora do centro, mas com infraestrutura infantil.

Acabei optando pelo St. Hubertus, porque fiquei apaixonada pela ideia de se ter vista para o Lago Negro. Não me arrependi! O hotel é lindo, decoração impecável, aconchegante, café da manhã e café da tarde fartos… Um único porém a se registrar: o restaurante é pequeno, com capacidade menor que a do hotel, então teve um dia que tivemos que esperar (foram só 5 minutinhos) pra sentar na hora do café. Acho que eles não esperavam que os hóspedes acordariam na mesma hora, rs.

Detalhes do Hotel St. Hubertus.
Café-da-manhã e Café-da-tarde com esse visual!

Da outra vez que fui, no ano de 2009, ficamos em Canela, na Pousada Cravo e Canela, que, assim como o St. Hubertus, tem o selo “Roteiros de Charme”. Uma gracinha, parece que foi casa de veraneio de algum governador do estado, super charmosinha e confortável. Pensamos em voltar, mas preferimos ter base em Gramado mesmo, afinal tínhamos pouco tempo.

TRANSPORTE:

Estava tudo certo para alugarmos carro desde o aeroporto, mas recebi uma dica valiosa: contrate um motorista, se possível, porque a cidade fica bastante cheia nessa época, o que acaba dificultando um pouco pra estacionar. E com criança, a última coisa que você quer é perrengue.

Assim, fugimos daquela burocracia de aeroporto na hora de alugar e devolver o carro. Fora que ficamos mais à vontade pra beber durante as refeições.

Minha dica é o Juliano, da Ideale Turismo. Ele providenciou cadeirinha compatível com a idade da minha filha e foi super pontual.

Entre em contato AQUI ou pelo telefone/WhatsApp (54) 99968-2043.

PASSEIOS E RESTAURANTES:

Fui com uma listinha extensa de passeios e, logicamente, não consegui fazer tudo. Fiquei lá apenas por 3 dias, no feriado de Finados, então tivemos que fazer escolhas.

DIA 1

– Pra começar, fomos a Canela, para ver a Cachoeira do Caracol. Há duas opções atualmente: Bondinhos Aéreos OU Parque do Caracol. Como já conhecíamos o parque, fomos nos bondinhos. O parque até acredito que seja mais “infantil”, mas ja existem muitos passeios voltados pra criança, fora que a vista dos bondinhos parece que é melhor.

Bondinhos Aéreos – Parque da Serra.

⁃ Perdemos quase 1 hora na fila. Realmente, feriado nessa época tem esse inconveniente – mas, por sorte, foi o único lugar em que enfrentamos fila desse tamanho. Nem adiantaria chegar muito mais cedo, porque só abre às 9 am.

⁃ Uma parada super legal para as crianças é a tenda das Esculturas que Falam – são esculturas que reproduzem a aparência e os sons dos animais.

– De lá, já partimos pro almoço, em Canela. Fomos na churrascaria La Braise e gostamos muito. Não estava lotada e não tinha aquele clima “turistão”. Dica do nosso “guia” Juliano.

– Antes de voltar a Gramado, paramos rapidamente na Catedral de Pedra, cartão postal de Canela.

Que tal esses ANTES (2009) x DEPOIS (2018)?

Catedral de Pedra – 2009 x 2018
Canela – 2009 x 2018

⁃ A ideia aqui era partir para o Florybal, parque que tem na estrada entre as duas cidades, mas a pequena estava cansadinha, não ia aproveitar tanto.

⁃ Voltamos pra Gramado, passeamos pelo LINDO Lago Negro e fomos descansar um pouco no hotel.

Alguns ANTES X DEPOIS no Lago:

No tronco da árvore 2009 x 2018 / À beira do Lago Negro 2009 x 2018

img_8672

– (É inacreditável que o Lago seja obra humana. Segundo a Wikipedia, o local em que o lago se encontra atualmente foi destruído por um incêndio em 1942, tendo a área sido reflorestada com mudas de pinheiro trazidas Floresta Negra, na Alemanha e, o Lago construído à semelhança dos lagos europeus.)

⁃ À noite, fomos passear pelo Centro de Gramado. Nos programamos para chegar a tempo do show diário de acendimento das luzes da cidade. Acontece às 20:30, na fachada do famoso cinema, ao lado da igreja e em frente à rua Coberta. Achei lindinho! Vou criar uns destaques nos stories do Instagram, vejam lá!

⁃ Depois demos uma circulada, curtindo um friozinho sutil… fomos jantar fondue na pedra (de novo) no Belle du Valais. Na noite anterior, assim que chegamos, fomos no Le Petit Clos. Os dois maravilhosos, acho que não sei escolher um melhor, rs. O diferente do Belle du Valais é que você pode pedir uma opção exclusiva de javali e cordeiro.

(O bom do fondue na pedra é que não ficamos com aquele cheiro de gordura e fumaça.)

Fondue na pedra no Le Petit Clos – amei essas cadeiras felpudas!
Fondue na pedra do Belle du Valais.

DIA 2

⁃ O segundo dia amanheceu com o tempo fechado e tivemos que adaptar nosso roteiro. Pra fugir da chuva, fomos na Fábrica de Cristais de Gramado e me surpreendi. Peças lindas com a técnica de murano por um preço, literalmente, de fábrica. Aproveitei pra dar uma espiadinha na apresentação que demonstra a técnica de fabricação.

)Minha aquisição foi um abajur lindo. Não precisei despachar na bagagem – eles entregam em qualquer lugar do Brasil. O frete custa 10% do valor da sua compra.)

⁃ Quando saímos de lá, a chuva tinha ido embora e corremos para a Aldeia do Papai Noel, passeio que eu mais queria fazer por causa da minha filha. Não sei quem ficou mais feliz, sério! Que lugar mais especial e delicado. Inesquecível conhecer a casa do Papai Noel, com todos os aposentos fofamente decorados e com ar de “habitado”, além de uma rena de verdade.

⁃ Pra almoço, queimamos a cabeça pra lembrar de um restaurante italiano que tinha nos marcado da outra vez, mas que, por descuido nosso, não anotamos o nome. Até que identificamos! DI CAPO. Sério, não lembro de ter comido uma massa mais gostosa, com um molho misto (molho branco com molho de tomate) espetacular. Tem foto nos stories do instagram.

⁃ Como a chuva resolveu voltar, não conseguimos ir pra nenhum parque depois do almoço, o que eu achei ótimo, porque acabamos indo degustar os chocolates deliciosos da Prawer – considerados os melhores e mais tradicionais de Gramado. De lá, fugimos para o hotel pra descansar e curtir uma piscina quentinha.

2009 x 2018 – Não repeti a foto de 2009, mas registrei as lavandas de 2018.

⁃ Para a noite de sábado, reservamos o jantar no Bouquet Garni com o show Reencontros de Natal, que acontece no Lago Joaquina Rita Bier às quartas e aos sábados. Valeu muito a pena, porque assistimos ao espetáculo de “camarote”, no conforto e quentinho do restaurante. Como o clima ainda estava chuvoso, se tivéssemos ficado na arquibancada normal, teria sido bem perrengue com as crianças. O ingresso para o show custa 200 reais e o jantar (entrada + principal + sobremesa) com show custou 380. Bebidas à parte. E o show lindo… todos os clássicos de Natal que a gente sabe na ponta da língua. Eu choro até com Simone, então é óbvio que me emocionei com aquele coral maravilhoso! Coloquei uns vídeos nos destaques dos stories.

Melhor que camarote, né?

– Durante essa época, todo dia em Gramado acontece algum espetáculo do Natal Luz. A que melhor se encaixou no nosso roteiro foi essa. Fechamos tudo com o Juliano que agiliza tudo pra gente sem cobrar nada mais por isso. Mas você também pode comprar por AQUI.

⁃ Fiquei com muita vontade de assistir o Grande Desfile de Natal (que acontece às quintas e domingos) e o Natal pelo Mundo (terças e sextas), ambos no Expogramado.

⁃ Ouvi falar bem também do Korvatunturi, um musical, ao estilo do Cirque du Soleil, que acontece aos sábados durante todo o ano.

⁃ Pra fechar sobre os shows de Natal, nessa época, todos os dias às 16:30h acontece a parada de Natal na rua principal de Gramado, com carros alegóricos e bandinhas.

DIA 3

⁃ No último dia, fomos ao Mini Mundo, passeio imperdível para as crianças! São cidades e atrações turísticas famosas do mundo inteiro em miniatura. E tudo começou como uma brincadeira de família que foi crescendo até ser aberta ao público em 1983. E ainda tem os ursinhos fofinhos (coincidentemente, chamados de Ana e Gui) que ficam passeando pelo parque e encantando as crianças.

(Confesso que em 2009 meu olhar foi um pouco diferente para esse parque, mas dessa vez saí de lá com a impressão nas alturas. O olhar muda, não tem jeito…)

Fotos em 2009 – Na mesma praça, no mesmo banco (com a sogra, rs). E depois no mesmo castelo. Pura coincidência.

– Seguimos para a Avenida Borges de Medeiros, a principal de Gramado, para um último passeio (que se tornou penúltimo, na verdade, rs). Fomos na rua Coberta, na igreja, passamos pela Praça das Etnias e pela Rua Torta – que me lembrou a Lombard Street em San Francisco. A rua torta não existia da outra vez que visitei Gramado. Foi uma adaptação para o turismo, pelo que fiquei sabendo.

Rua Torta
Lombard Street, em SFO – inspiração para a Rua Torta. Na foto, em junho de 2016, eu estava grávida, prestes a descobrir.

– Fomos em lojas de chocolate LINDÍSSIMAS, como a Fabulosa Loja de Chocolates da marca Caracol e no Mundo do Chocolate, da Lugano – esta última com um passeio legalzinho com degustação de chocolate ao final. São varias esculturas de milhares de toneladas de chocolate. O cheiro no ar é de matar… uma delícia!

Loja linda! Nem preciso dizer que ela amou, né?
Mundo do Chocolate.
Foi à forra.

– Uma visita muito FOFA foi à loja Criamigos, onde nossos pequenos podem criar um bichinho de pelúcia do jeitinho que quiser. Escolhe-se primeiro o “contorno” (cachorrinho, ursinho, pandinha, ovelhinha…), depois partimos para a máquina de “recheio”, incluímos o coração, escolhemos a roupa, o nome e ganha-se até certidão de nascimento, com direito a “cordão umbilical”, rs… batizamos a ovelhinha de Bé de Neve, porque a minha filha só se refere a ovelhas, cabras e bodes como BÉ. E o de Neve ficou por conta da indumentária, rs.

– Já a caminho do aeroporto, com a Angela já apagada, como tínhamos uma folga de tempo, pedi pro Juliano parar no Le Jardin, parque da Lavanda. Vocês já viram aqui como sou apaixonada por essas flores, né? Então queria muito conhecer esse parque que me deixou DOIDINHA! Que lugar mais lindo e bem cuidado… um sonho! (A lojinha também é uma gracinha e merece a visita.)

O Céu deve ser parecido…

Ela ama as plantinhas…

EXTRA

O que ficou pra próxima?

Além dos outros shows do Natal Luz, sem dúvidas, o zoológico de Gramado, que dizem ser o mais bem cuidado do Brasil.

Também quero ir nos parques temáticos, como Florybal, Vale dos Dinossauros e, quando a minha filha estiver maior, no Snowland.

E com mais tempo, quero perder alguns dias em Bento Gonçalves.

O que eu fiz da outra vez que não fiz nessa?

No frio, em 2009.

Fomos no Mundo a Vapor, mas não achei que minha bebê (com menos de 2 anos) fosse se interessar, então priorizamos outras coisas.

Fomos também a Nova Petrópolis, onde tem o famoso Labirinto Verde, o Parque Aldeia do Imigrante e a tradicional casa de café colonial Opa’s Kaffeehaus.

Nova Petrópolis
Anúncios