Feriado no Tivoli EcoResort – Praia do Forte

Aproveitando esse final de clima de férias e verão, resolvi falar de uma viagem super gostosa que fizemos recentemente: Praia do Forte-BA.

Insira uma legenda

Aproveitando esse final de clima de férias e verão, resolvi falar de uma viagem super gostosa que fizemos recentemente: Praia do Forte-BA.

Estivemos lá há uns 5 anos, em casa de amigos e foi uma delícia! Estava doida para voltar com a minha beibinha e conhecer o famoso Tivoli EcoResort. Aproveitamos o feriadão de novembro e fomos comemorar o niver da “Didi”, minha irmã, por lá!

HOTEL

Sempre ouvi falar muito bem da infraestrutura infantil do hotel, que também consegue se manter como uma boa opção para adultos sem crianças.

E qual foi a minha impressão? Extremamente positiva, mas claro que existem (poucas) ressalvas!

O hotel é grande, mas consegue manter um ar exclusivo, porque é bonito, bem cuidado e confortável.

As piscinas são ótimas, várias boas opções, inclusive uma exclusiva para adultos. Dei algumas fugidinhas pra ter momentos (bem) rápidos de sossego, rs.

Essa é a piscina exclusiva de adultos:

O mar não é bravo, mas tem uma ondulação. Não é aquela piscininha flat ideal pra criança.

Tem também um spa lindo que oferece diversas opções de massagem e tratamentos. Adoro usar esses espaços nos hotéis, mas dessa vez não tive tempo.

Com vista pra praia, várias espreguiçadeiras e ombrelones à disposição. Não precisamos nos matar pra garantir um lugar à sombra, ufa. Mas verdade seja dita, já aproveitávamos pra marcar um bom lugar antes do café-da-manhã.

Difícil era querer sair dali… com tantas atividades e programação, o que eu mais queria era descansar! No final do dia, então, com uma musiquinha ao vivo durante o por-do-sol…

REFEIÇÕES

Além do restaurante principal, onde é servido o café e o jantar (refeições inclusas na diária), há outras opções à lá carte para almoço. São restaurantes e bares perto da praia e das piscinas.

O café-da-manhã era ótimo, farto, várias estações, ótimo pra sair rolando. A comida no jantar uma delícia. Mesmo sendo várias opções – como um restaurante de hotel deve oferecer e, por isso mesmo, acaba não surpreendendo muito -, achei de alto padrão.

Visitas ilustres no café.

Ressalva: acho que seria simpático o hotel oferecer algumas degustações temáticas durante o dia para os hóspedes, mas não tinha, literalmente, “almoço grátis”. Já fui em hotéis (como o Nannai) que, mesmo sem ser pensão completa (sem almoço), fazia a cortesia de oferecer pequenas provinhas aos hóspedes, como um caldinho de peixe ou até um picolé. Nada que mate a fome de ninguém – eu não deixaria de consumir, pelo contrário, abriria ainda mais meu apetite! Mas lá não rolou nem um acarajé, rs.

O espaço do hotel – incluindo restaurantes – não é aberto ao público. Para acessar sem estar hospedado, é necessário pagar 200 reais/pessoa e mais o que se consumir.

Agora o que mais importa: alimentação infantil. Achei interessante o método do hotel, que disponibiliza uma ficha com o cardápio para você marcar suas opções de almoço e jantar. Você, então, deposita a ficha preenchida na urna que tem na copa baby e a comida escolhida é disponibilizada no dia seguinte na geladeira da copa, etiquetada com o nome da criança. Cabe ao responsável esquentar e depois lavar a louça eventualmente utilizada.

Em outros hotéis, já tive a experiência de restaurante infantil exclusivo em horários específicos (como o Portobello e o Costão do Santinho) ou de solicitar diretamente ao restaurante principal uma refeição infantil adaptada (no Nannai foi assim – mesmo não sendo pensão completa, para crianças eles disponibilizam o almoço de forma personalizada, no horário que eu queria, era só combinar com o maître).

O hotel providenciou esse bolinho para o parabéns da Didi.

 

QUARTO E ACESSO

Ficamos em um quarto família, bem confortável, virado para a praia (todos são), com banheiro espaçoso. Aprovado!

Como a extensão do hotel é realmente grande, utiliza-se bastante aqueles carrinhos elétricos de golfe para locomoção e aí está, pra mim, um ponto de crítica. Achei que eles podiam ser mais frequentes ou que fossem disponibilizados interfones pelo hotel para que os hóspedes pudessem solicitar. Por algumas vezes, optei por voltar a pé pro quarto – o que é muito tranquilo e até gostoso pra mim, mas com criança pequena, não dá pra dispensar essas soluções mais práticas.

Ainda sobre esse quesito “carrinho de golfe”, não achei o staff tão hospitaleiro, especialmente, os motoristas desse carrinhos, que pareciam sempre com pressa e excediam desnecessariamente a velocidade, ainda mais considerando que podíamos nos deparar com uma criança passando a qualquer momento.

ÁREA DE LAZER INFANTIL

O espaço Careta Careta é ótimo, atende a varias idades, tem piscina exclusiva, parquinhos, salinha de atividades para os mais babies e até restaurante para que a criança nem precise sair de lá. Existem recreadores com programa de atividades, mas não acompanhei muito, porque a minha filha ainda é baby.

O hotel também disponibiliza o serviço de baby-sitter, mas esse ainda não consegui experimentar em nenhum hotel. Me falta coragem (e vontade também).

PRAIA DO FORTE

Como eu fiquei só 4 dias no hotel e estava suuuper gostoso e, também, como eu já conhecia o centrinho da Praia do Forte, confesso que não senti muita vontade de sair. Mas me sentiria culpada por não ir, ao menos, no berço do Projeto Tamar. Como tenho parentes muito queridos em Salvador, aproveitamos pra fazer o passeio juntos e matar as saudades. Valeu a pena!

Para mais detalhes, fotos e vídeos, acompanhe no instagram! @_donadica_

Anúncios